A Orquestra

Fundada em 1997 pelos músicos mineiros Renato Almeida e Rosiane Reis, a ONG Orquestra Jovem Gerais é uma iniciativa voltada para a promoção do desenvolvimento humano por meio do acesso à arte, cultura e educação. Localizado na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, o projeto oferece oficinas de instrumentos de cordas (violino, viola, violoncelo e contrabaixo), sopros (flauta transversal, fagote, oboé e clarinete) e percussão a crianças e jovens de comunidades de baixa renda e em situação de vulnerabilidade social. A partir da educação musical, a Orquestra Jovem Gerais busca a inserção destes jovens na sociedade, despertando o talento artístico e gerando oportunidades culturais e profissionais. Diante deste cenário, o projeto pretende contribuir para a formação cidadã dos alunos e transformação da realidade e justiça social.

Atualmente, o projeto atende 250 crianças e adolescentes que, além das aulas de música, contam com acompanhamento psicopedagógico. Desde a sua fundação, já passaram pela ONG 1500 alunos. A Orquestra tem caráter permanente, ou seja, procura atualizar seu contato com a comunidade por meio de frequentes ações de sensibilização através de concertos e recitais. O projeto também estabelece parcerias com equipamentos sociais e culturais para a divulgação das oficinas, como associações e escolas públicas.

As transformações promovidas a partir das ações da ONG, inicialmente batizada de Orquestra Jovem de Contagem, permitiram o amadurecimento e expansão do projeto, bem como sua distinção no meio musical, conduz indo a Orquestra por novos tempos e uma importante fase de transição. Desde a estrutura pedagógica de ensino até as performances nas apresentações, a Orquestra realiza seu trabalho com públicos de diferentes faixas etárias, classes sociais e realidades culturais, que normalmente não acessam esse estilo musical. Como forma de expressar e materializar essas transformações e ao mesmo tempo valorizar o projeto pelo que o distingue, a ONG mudou de nome, tornou-se Orquestra Jovem Gerais.

O nome Orquestra Jovem Gerais representa um olhar para dentro, para o sertão que está no interior de Minas, e dentro de seus habitantes; mas também para o sertão de suas grandes cidades – como é Contagem – sertão das favelas, dos morros, das vilas e aglomerados. A Orquestra Jovem Gerais representa a importância do acesso democrático à arte e reconhece sua capacidade de unir os públicos mais diversos. É uma maneira de mostrar ao mundo o que a Cultura Mineira tem, sobretudo, através de ações que promovam a inclusão social, o combate à pobreza e os direitos da infância e da juventude.

Missão

Promover a inclusão social por meio da música, oferecendo oficinas de instrumentos de cordas e sopros para crianças e adolescentes de áreas de vulnerabilidade social da região metropolitana de Belo Horizonte, MG.

Visão

Ampliar a atuação da organização para cidades da região central de Minas Gerais, de maneira sustentável.

Valores

Ética
Inovação
Sustentabilidade
Espírito jovem
Comprometimento
Paixão pela música
Coletividade

Um texto escrito por, Giovanna Braga, aluna da OJG

A OJG realizou nesta quinta-feira (15), um evento para comemorar a vida dos aniversariantes do 1º semestre, da orquestra. Durante a ocasião homenageamos o ex-presidente da Orquestra, Sr Ailton, e o atual Sr. Eustáquio, pela relevância de seus trabalhos em prol da ONG.

O evento contou com a participação do ex-aluno Allan Karteddy, e do aluno de violoncelo Lucas Silva, que convidaram todos para cantar a canção “Hey Pai”, da cantora Isadora Pompeo, depois do “Parabéns”, foi a hora do lanche coletivo; onde relembramos como é bom celebrar a vida dos nossos amigos e principalmente daqueles que, com muito amor e consideração, deixaram e continuam deixando a essência da humanidade e da perseverança, marcados na história da Orquestra Jovem Gerais. Viva!

IMG_9093IMG_9036IMG_1485IMG_9072

Começou hoje na Orquestra Jovem Gerais o projeto “Composições”. Idealizado pela coordenadora Rosiane Reis e conduzido pelos professores, o projeto estimula a criatividade dos alunos propondo o desafio de compor. As composições devem ser originais e de autoria exclusiva do aluno, partindo de algumas notas já preestabelecidas pelos professores.

Logo no lançamento do projeto os alunos de Viola Clássica, da professora Thaynara Coimbra, apresentaram suas respectivas composições: Amanda Lopes /Ao Por do Sol, Isabelle Lopes/União, Lucas Ryan/O Canto do Sábia Solitário e Clara de Lima com a canção Puro Amor. Na ocasião, também se apresentaram quatro violoncelistas, alunos da professora Sheyenne Bitencourt: Isabella Teixeira com a canção Desespero, Pedro Arthur/O silêncio, Maria Eduarda/Life e Lívia com Escuridão.

O projeto revelou que alguns dos alunos já estão familiarizados com a arte de compor, como é o caso da aluna de viola, Clara Lima. Ela relatou que a música sempre lhe ajudou nos momentos mais difíceis que enfrentou, e, quando havia dificuldade de se expressar por meio de palavras, encontrou na composição de músicas um meio de traduzir os seus sentimentos. No triste momento de doença da sua avó, Clara escrevia e cantava para ela, sentindo que a música trazia calma e conforto. Após o falecimento de sua avó, Clara continuou a compor e tem nela a sua fonte de inspiração. “Sempre que eu escrevo eu penso nela, acredito que ela ficaria feliz em ouvir, é uma forma de homenageá-la” – afirma Clara.

O projeto passa a integrar o quadro fixo de atividades da OJG, e segue pelos próximos dias. “Acreditamos que com esse projeto vamos incentivar o desenvolvimento criativo dos alunos e identificar vários talentos que as vezes ficam escondidos”, afirma Rosiane, idealizadora da iniciativa.

IMG_8951IMG_8750IMG_8764

 

Entre dinâmicas e sorrisos, assim começou o segundo semestre de 2019, na Orquestra Jovem Gerais. Juntos a esses sorrisos, surgem novos desafios. Já neste primeiro dia de aula, os alunos ensaiaram o repertorio que será apresentado na 13ª Festa Tradicional Italiana de Belo Horizonte, no dia 18 de agosto, a partir das 10h. Mas esse começo agitado de semestre não aparenta ser um problema para Samara Alves, 14 anos, flautista. “Espero novos incentivos e experiências, como um repertorio novo e muito alegre.”, comentou ela ao ser entrevistada.IMG_1404WhatsApp Image 2019-08-01 at 18.02.45IMG_1380

 

 

Agenda

<< Ago 2019 >>
DSTQQSS
28 29 30 31 1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31
Concerto da Gratidão - Brumadinho/MG
Concerto da Gratidão - Brumadinho/MG
Estacionamento Central
Antiga Praça de Eventos, ao lado do Rio Paraopeba - Centro

31/08/2019
16:30

Cerimônia de Homenagens da Orquestra Jovem Gerais - Contagem/MG
Escola Municipal Heitor Villa Lobos
Praça Marília de Dirceu, 20 - Inconfidentes

10/09/2019
19:30

Exposibram 2019 - Belo Horizonte/MG
Expominas
Avenida Amazonas, 6030 - Gameleira

12/09/2019
12:00

Chá Beneficente - Divinópolis/MG
Estrela do Oeste Clube
Rua Rio de Janeiro, 258 - Centro

12/09/2019
19:00

13ª Festa Tradicional Italiana de Belo Horizonte - Belo Horizonte/MG
Avenida Getúlio Vargas
Entre Avenida Cristóvão Colombo e Rua Professor Morais - Savassi

15/09/2019
10:00